terça-feira, 29 de julho de 2014

0

ENTREVISTA: Com a banda de ‘Mixed Metal Styles’, TELLUS TERROR

Da forte cena Metal carioca surge uma nova e promissora banda, a TELLUS TERROR, de Niterói, que estarão lançando em breve seu debut álbum intitulado “EZ Life DV8”. Formada em 2012 a banda aposta em uma nova proposta musical, que eles mesmo denominaram de “Mixed Metal Styles”, que promete arrebatar e levantar o público metal Brasil afora. Fomos então bater um papo a banda para desvendarmos um pouco deste “Terror” anunciado e quem falou conosco foi o líder e vocalista Felipe Borges.


SS - Olá, prazer em falar com a Tellus Terror, sejam bem vindos ao Silence of Shadows!
Felipe Borges: Sem dúvida o prazer é todo nosso, por vocês nos cederem uma oportunidade de darmos uma entrevista a Silence of Shadows!

SS - Por favor, apresente-nos a Tellus Terror e seu lineup
Felipe Borges: Somos uma banda de M.M.S. (Mixed Metal Styles) do Rio de Janeiro - Niteroi, formada em 17 de Novembro de 2012. Nosso Line Up é:

Felipe Borges - Todos os Vocais
Alvaro Faria - Guitarra base e solo
Wederson Félix - Guitarra base e solo
Arthur Chebec - Baixo
Ramon Montenegro - Teclados e Sintetizadores
Mike Nil - Bateria e Percussão

SS - Em que momento vocês decidiram dar vida à Tellus Terror e quais foram as maiores influencias?
Felipe Borges: Acredito que tenha sido num momento onde todos nós já havíamos passado por algumas outras bandas, onde nós juntamos conhecimento e experiência que acreditamos serem as necessárias para darmos vida ao Tellus Terror, e poder sustentar esta nossa meta e sonho o máximo possível.

Nossas influências vão de Depeche Mode à Morbid Angel, de Johnny Winter á Cradle of Filth, de Sonic Youth à Marduk, de The Offspring à Disgorge e por aí vai, AMAMOS TUDO de Rock and Roll ao METAL!!!

SS - Como se deu a escolha do nome da banda?
Felipe Borges: Tellus Terror significa Terror do Planeta Terra (Tellus é planeta Terra em Latim).

Eu tive esta idéia pelos seguintes motivos:

1 – É um nome de fácil dicção a nível mundial;
2 – É um nome que me deixa livre para escrever sobre coisas reais, e que são comuns a TODOS sem excessão, pelo simples fato de morarmos no Planeta Terra;
3 – Me permite falar de Criação e Destruição, Amor e Ódio, Felicidade e Tristeza, Vida e Morte, Sofrimento e Felicidade etc... em suas formas mais extremas.

Com isso este título se encaixa perfeitamente para que possamos falar de Você, de Nós e de Todos que habitam o nosso planeta.

SS - A Tellus Terror é uma banda de Metal.  No entanto a banda definiu seu gênero como  M.M.S. (Mixed Metal Styles). Fale um pouco sobre essa novidade que é a proposta musical da Tellus Terror
Felipe Borges: O M.M.S. (Mixed Metal Styles), é a forma como achamos para tentar explicar ao público, tudo aquilo que fazemos com a nossa música. Sei que pode assustar de cara, ou até mesmo fazer com que muita gente não goste disso, mas espero que com a audição de nossa música, de nossa tendência lírica, eles possam mergulhar um pouco mais no mundo do Tellus Terror, e abraçar o novo, sem esquecer do bom e velho Metal, que nós também tanto amamos e idolatramos.

SS - Vocês estão iniciando uma carreira metal no Brasil, quais bandas nacionais vocês tem como espelho e exemplo que a Tellus Terror quer seguir?
Felipe Borges: Sem dúvida nenhuma o Brasil é repleto de brilhantes talentos do METAL. Nós temos uma admiração enorme por toda e qualquer banda que trabalhe arduamente pelo seu sonho e objetivo, e com isso posso citar o Demolishment, Unearthly, Mysteriis, Gutted Souls, Crotch Rot, Regorge, Underfection, Morbid Simphony, Profane Art, Frozen Aeon, By Fire, Evil Inside, Krisiun, Oligarquia, Woslon, Slasher, Impacto Profano, Castifas etc... A lista é gigantesca rsrsrs

SS - O álbum de estreia do Tellus Terror, “EZ Life DV8”, está prestes a ser lançado. Por falar nisso quando será este lançamento? E durante quanto tempo vocês trabalharam até a conclusão final do disco?
Felipe Borges: Ele está neste momento sendo embalado/lacrado na fábrica em Manaus, e deve de fato chegar em mais 10 dias. Nós estamos fechando o show de estréia e lançamento do nosso CD para Novembro deste ano... vamos torcer para dar certo!

Nós trabalhamos neste album por 1 ano e meio incluindo criações, ensaios e gravações.


SS - Quem são os principais responsáveis pelas letras das canções e quais os temas principais deste vindouro álbum?
Felipe Borges: Eu escrevo todas as letras do Tellus Terror. Neste album as letras são conceituais (o disco é conceitual),  é se trata de uma passagem pela criação do planeta como conhecemos, (Stardust) passando pela formação dos planetas e suas formas geográficas (Terraformer), sobre como nossa casa foi posicionada em nossa galáxia, e como isso seria uma possível referencia para outros seres nos localizarem (3rd Rock From The Sun), Passando por uma visão sangrenta de como a raça Humana consegue se fazer de sua própria existência um motivo para conflitos (Bloody Vision), dando uma pausa para retratar um fenômeno natural maravilhoso onde a luz e a escuridão tem sua vez/força por igual (Equinox), retomando a história da raça Humana e suas maiores guerras e conflitos, com base em fatos reais da primeira e segunda guerras mundiais, também retratando como seria uma possível terceira guerra mundial, dado os fatos dos exércitos estarem fazendo experimentos para controlar as enchentes, furacões, tempestades etc... e a manipulação das armas nucleares (Civil Carnage), passando por uma reflexão com base de que o verdadeiro inferno, é a casa onde vivemos, nosso planeta, retratando que o inferno se espalha internacionalmente, e que nascimento após nascimento, sempre nos veremos no inferno (I.C.U. In Hell, International Chaos United), passando depois pela melancólica e depressiva e fantasiosa idéia de estarmos a beira da extinção de nossa vida/espécie, refletindo o que poderíamos ter feito para desenvolver nossos cérebros tecnologicamente para podermos achar uma solução de como migrar para outro planeta ou fazer com que salvemos o nosso, através de uma estória de um Homem que vê sua esposa na beira da morte, e enxerga somente o vazio nos olhos dela (Brain Technology Part 1 – This Is Where It Starts...), passando então pela idéia, sobre o que nos faz refletir como poderia ser o fim dos tempos de fato (Endtime Panorama), e por fim, a conclusão que hoje em dia, tudo que possamos fantasiar e concluir sobre como seria o fim de nossas vidas, não passa de um erro, pois em meio a este turbilhão de teorias, nada é concreto (Error).

SS - Por falar em temas das letras, a Tellus Terror considera importante a inclusão de temas diretamente político/social nas canções? Vocês acham importante que as bandas de rock/metal excite a consciência social e política de seus fãs?
Felipe Borges: Eu sempre acreditei que o Rock and Roll e o METAL se retratam em MUITA atitude, e temos e tivemos muitas bandas que direcionam suas atitudes para protestos políticos. Eu acho que se a banda faz com garra e dedicação, tudo é válido. É importante sim, eu torço muito para que o nosso país não seja mais roubado pelos nossos políticos, e que nossas crianças não morram mais em Hospitais publicos, e que elas possam ter acesso a uma boa escola, e serem nossos futuros médicos etc...

O Tellus Terror não discute estes assuntos. Somos neutros a ele devido a proposta da banda, mas nosso sentimento de querer ver nosso povo tendo acesso a saúde e educação, é muito grande.

SS - “EZ Life DV8”, quem escolheu este título? Fale-nos um pouco sobre ele.
Felipe Borges: Eu escolhi este título devido ao fato do disco mostrar e explicar alguns pontos de como a nossa vida pode ter vários desvios facilmente seja para o bom lado ou para o lado mal. EZ Life DV8 (Lê-se Easy Life Deviate) significa desvio fácil da vida.

SS - O nível da produção, mixagem e masterização e artes do álbum “EZ Life DV8” mostra claramente que a Tellus Terror acredita no mercado metal do Brasil e em si própria. O que a Tellus Terror mais aspira como banda? E como você gostaria que sua banda estivesse no futuro?
Felipe Borges: Realmente nós buscamos trazer o novo em um bom patamar de produção para o público. Afinal de contas, nós fazemos musicas para as pessoas, não para nós mesmos. Nós acreditamos muito nas bandas de nosso país, e sei que temos TUDO para não dever a nenhuma banda gringa por aí. VAMBORA BRASIL, VAMOS MOSTRAR AO MUNDO AFORA QUE AQUI É BERÇO DE METAL DE QUALIDADE!!!!!!

Eu espero que nós do Tellus Terror consigamos espalhar nossas musicas no mundo inteiro, e que nós possamos viver disso 100% fazendo o que a gente tanto ama.

SS - Cantar em português está dentro do contexto da Tellus Terror?
Felipe Borges: Não, pois a língua portuguesa (Infelizmente) não é uma linguagem mundial.

SS - Quando teremos um videoclipe oficial?
Felipe Borges: Estamos nos preparando para até o final do ano gravar de 2 a 3 video clipes.

SS - Que tipo de pessoas tem maior chance de assimilar, se identificar com a proposta musical que a Tellus Terror apresenta no álbum “EZ Life DV8”?
Felipe Borges: Qualquer uma que nos dê a oportunidade de emprestar seus ouvidos e sua atenção, para quem sabe ganharmos mais um fã.

SS - No Brasil, vemos que no futebol temos milhões de “técnicos” de plantão "cornetando" os profissionais, “fenômeno” semelhante também acontece dentro da cena Metal onde muitos fãs mais críticos vivem para "cornetar", principalmente as novas bandas. Para estas pessoas e principalmente para aquelas pessoas que nunca ouviu sua banda tocar antes, porque motivo elas deveriam dar uma chance e começar ouvir a Tellus Terror?
Felipe Borges: Nós fazemos musicas para elas também, e o que eu posso garantir, é que gostando ou não, nós demos nosso sangue com total dedicação para essas pessoas poderem ouvir nosso som. Esse é o maior motivo para elas nos darem uma oportunidade.

SS - A Tellus Terror tem uma fan page no Facebook com mais de 75 mil fãs. A que se deve este número tão expressivo, vocês tem outro trabalho lançado antes do “EZ Life DV8”? Fazem muitos shows pelo Rio de Janeiro?
Felipe Borges: Uma grande e maior parte disto, acreditamos que devemos a nossa assessoria de imprensa, a Metal Media. O trabalho que o Rodrigo Balan e a sua esposa Debora Brandão fazem pela nossa banda eu posso garantir que é fantástico, outra parte deve-se ao fato da nossa banda ter nossos planos de ação de marketing.

O EZ Life DV8 é o nosso primeiro trabalho, e ainda não fizemos nenhum show. Nossa estrada de shows começará em breve, muito breve.

SS - Como está a agenda da Tellus Terror?
Felipe Borges: Estamos com alguns planos que ainda não divulgaremos. Acabamos de fechar acordos de distribuição do nosso disco com 2 gravadoras, a Shinigami Records (que vai vender nossos cd´s pela Russia, Canada, Mexico, Argentina e Brasil), e com a Thrash S/A (Antiga Encore Records) que venderá por todo o território nacional. Isso nos dará a visibilidade e o impulso inicial para iniciarmos nossos shows, com total dedicação.

SS - “EZ Life DV8” recebeu nota máxima 10/10 feita por Marcos "Big Daddy" Garcia do conceituado Metal Samsara que entre tantos elogios disse: “"EZ Life DV8" é um disco muito, muito diferente do comum. Ou seja, o Terror não está chegando, mas está entre nós. E para ficar, preparem pescoços, ouvidos e o cérebro para uma experiência completamente nova em termos de Metal”. Receber um review tão positivo ajuda, impulsiona a Tellus Terror a alcançar seus objetivos?
Felipe Borges: Marcos Garcia é extremamente conceituado e um grande conhecedor de Rock e Metal, e ter esta crítica dele, nos faz querer trabalhar em triplo!!! Isso sem dúvida impulsiona nossa vontade de fazer música para as pessoas cada vez mais!!

SS - Muito obrigado em nos conceder esta entrevista. Desejamos muito sucesso a Tellus Terror!
Felipe Borges: Eu é que agradeço por esta oportunidade de poder responder as suas perguntas, e espero que possamos responder a várias outras que possam vir. Um muito obrigado também aos fãs e pessoas que venham a ler esta entrevista, muito obrigado pela sua atenção. Um grande Abraço!

Sds.
Felipe Pereira Borges


Saiba mais sobre o Tellus Terror em: Site Oficial | Facebook | YouTube | Metal Media